20 de maio de 2014

Não te conheço, Amigo.


Certa vez me perguntaram como eu conseguia chamar alguém de melhor amigo apesar de não conhecer esse alguém pessoalmente. E questionaram ainda: como eu falava com alguém que poderia ser um tarado-pedófilo-enganador-de-menininhas-que-assistia-hentai? Bem, eu tinha/tenho bons motivos para fazer isso, mesmo que na hora — até agora, na verdade — tentar responder essas perguntas me dê um branco na cabeça e um vazio no meu coração.

Eu sempre achei que algo insubstituível e essencial, num diálogo que se preze, fosse aquele contato visual, e poder perceber que os olhos de uma pessoa brilham mais ou menos ao falar de um determinado assunto. Eu sempre gostei de ver as as reações em geral das pessoas: notar que levantam e abaixam as sobrancelhas, que coçam o queixo, que arregalam os olhos espantados e que apertam os olhos como quem diz "é isso mesmo Ana?", mas adoro sobretudo provocar risadas. 

Adoro fazer as pessoas rirem e rir com elas. Mas e na internet? Quem me garante que um KKKKKKKK é uma risada de verdade? Eu mesma já cansei de digitar o "K" de forma repetitiva sem achar graça nenhuma e de mandar "rsrsrs" enxugando lagrimas.

A questão é: mesmo que eu atropele as palavras, que eu fale apenas bobagens e tente fazer piadas que ninguém ri (e quando ri  é por pena, segundo alguns amigos.) eu adoro falar, faço isso até demais. Mas tenho que confessar que tenho mais intimidade com a escrita. Já perdi a conta das vezes que eu quis falar algo, não consegui e acabei me desabafando com um papel e uma caneta.  E no dia das mães era típico, desde pequena eu adora escrever cartinhas do
tipo: "Mãe, você é a flor mais linda do mundo. Te amo do fundo do meu coração, você é minha mãe preferida".  Eu até podia tentar falar cara-a-cara à ela essas bobagens, mas sempre achei na escrita um modo melhor de me expressar. 

Eu sei que é absurdo, mas eu acho mil vezes mais difícil escrever uma mentira do que falar uma mentira. Eu sei que quando você passa na rua e encontra com uma pessoa aquele "Oi, tudo bem?" não é real. As pessoas na rua são meio que obrigadas a responder, não tem opção de "aceitar" ou "rejeitar" as solicitação de convívio. Não tem como bloquear o coleguinha chato que fica puxando assunto com você. Você pode até deixar uma pessoa falando sozinha, mas será no mínimo ser chamada de grossa, insensível, esnobe, metida entre outros. E temos que admitir que ninguém faz isso, preferem manter um dialogo sem vontade, ser um amigo falso do que ser a "esnobe" da vez.

Na internet isso é diferente, você pode excluir qualquer um, escolhe quem faz parte ou não da sua network, bloqueia, exclui, visualiza e não responde e ainda assim fica tudo bem e sem ressentimentos. Em outras palavras: NINGUÉM É OBRIGADA A FAZER NADA, e a partir do momento que não há obrigações aí sim, eu acho que, é mais real. Eu sei que na internet quando mando ou recebo um "como você esta?" é porque a gente esta realmente interessado em saber. Sei que posso contar o que eu penso, sinto, acho, e vou ter uma resposta sincera e isso é muito bom.

Eu admito: essas relações virtuais são estranhas. Mas toda vez que eu escuto uma musica e lembro de conversas que tiveram trilha sonoras de links de musicas trocadas do youtube,  toda vez que eu sair da livraria com livro que foi citado 1 bilhão de vezes por um amigo no msn, toda vez que eu ver uma foto do meu amigo com uma girafa de pelucia pra mostrar que pra "inveja" inveja não tem distancia, e toda vez que eu não sentir vontade de enfiar a mão no congelador pra raspar o gelo (sim, já fiz muito isso), só porque um amigo me mostrou neve no skype, eu vou ter a mais pura certeza que essa essas minhas amizades são estranhas mesmo, porém essenciais na minha vida. 


No final das contas, eu me sinto feliz por ter "conhecido" (como me doeu por aspas nessa palavra) meus MELHORES AMIGOS (melhores mesmo!), e infeliz por ainda não existir impressora que imprima pessoas. Ainda tenho duvida como posso chamar de melhor amigo alguém que não conheço, isso é estranho demais, mas acho que é por isso que eu gosto. ♥

Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Vc sabe q o amor da minha eu conheci assim pela Internet! E acredito q tudo isso realmente seja verdade amigo virtual é mais sincero.

    Amei o post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Drica, eu sei sim. E vocês são um belo exemplo que isso pode dar certo. Mas quando tem que ser é!
      Obrigada Drica ♥

      Excluir
  2. aaaaaaaaahhhh adorei o cabeçalho novo! Ficou mto lindo!
    Faz um botão "link me" se vc puder pra eu colocar no meu blogroll ;)
    Bjoos!! :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, valeu Enohar, tenho que agradecer a martina.
      ta bom, beijoss e muito obrigada!

      Excluir
  3. aaaaaaaaaaah, adorei o texto que lindo, realmente tudo isso que vc falou é verdade, beijos adorei o novo cabeçalho do blog ♥

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Kamila ♥
    Foi a Martina quem fez, beijos :*

    ResponderExcluir
  5. oiilinda tudo bem ?!
    Amei o blog ,e gostaria muito de segui-la , segue por favor que retribuo com o maior prazer !
    http://dannysoares18.blogspot.com.br/
    pagina : https://www.facebook.com/BlogDannySoares?ref=hl
    youtube: https://www.youtube.com/channel/UCpCqu9oPv98_SqC0753cXOg

    ResponderExcluir

Que bom que você chegou até o fim do post, que tal agora deixar aqui a sua opinião, crítica, elogio ou sugestão? Ou só um sinal de vida mesmo, haha
♥ Não tem essa palhaçada de regras, fale o que quiser, toda opinião por aqui é muito importante.
♥ Eu leio e respondo tudo, então se tiver blog deixa o link que eu visito ele também e deixo um comentário ;)
♥ Volte sempre!


.

Copyright © Coisa de Ana
Design by Ana Maurice - Tecnologia do Blogger
    Twitter Facebook Google + YouTube